Skip Navigation LinksHome > Media Center > Notícias
10/05/2018

B3 registra lucro líquido recorrente de R$ 448,2 milhões no 1T2018

  • Crescimento de receita atinge dois dígitos percentuais em quase todos os segmentos: Cetip UFIN +16,1%; Bovespa +30,2%; BM&F: +23,4%; Cetip UTVM: +5,1%; e Outras

  • Receitas +14% Receita líquida atingiu R$ 1,1 bilhão no 1T18, enquanto o EBITDA ajustado foi de R$760,2 milhões

  • Descontos decorrentes de repasse de sinergias para clientes e reconhecidos no primeiro trimestre representaram R$ 7,8 milhões

  • Mudanças no modelo de negócio do Sistema de Contratos de financiamento de veículos do segmento Cetip UFIN geraram aumentos de receitas e despesas, resultando em revisão do orçamento de despesas para o ano

A B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão (código de negociação: B3SA3) divulga seus resultados operacionais para o primeiro trimestre de 2018 (1T18). A receita total atingiu R$1.111,9 milhões no 1T18, aumento de 18,2% em relação ao mesmo período do ano anterior (1T17), com crescimento de receitas em todos os segmentos de negócio.

A B3 também revisou os orçamentos de despesas (OPEX) anunciados anteriormente em 2018 em decorrência de mudança no modelo de negócio do Sistema de Contratos do segmento Cetip UFIN. Pelo mesmo motivo, divulgou uma projeção específica para as despesas atreladas ao faturamento. Os atuais números são:

  • OPEX ajustado: R$ 960 milhões – R$ 1 bilhão (anteriormente R$ 1,05 – R$ 1,1 bilhão)

  • Depreciação e amortização (D&A): R$ 910 – 980 milhões (mantido)

  • Despesas atreladas ao faturamento: R$ 200 – 220 milhões (novo)

  • Despesas relacionadas à combinação com a Cetip: R$ 55 – 75 milhões (mantidos)

Outras projeções de 2018 da B3 foram reafirmadas, conforme informações do Fato Relevante da Companhia divulgado hoje, dia 10 de maio de 2018.

Destaques do 1T18:

  • No segmento BM&F, o volume médio diário (ADV) foi 36,7% superior ao 1T18, enquanto a receita por contrato (RPC) média caiu 4,7% na comparação anual.

  • No segmento BM&F, o volume médio diário (ADV) foi 36,7% superior ao 1T17, enquanto a receita por contrato (RPC) média caiu 4,7% na comparação anual.

  • No segmento Bovespa, o volume médio diário negociado (ADTV) cresceu 40,6% sobre o 1T17, enquanto as margens de negociação/pós-negociação caíram 3,6% no mesmo período.

  • No segmento Cetip UTVM, o volume financeiro de novos registros permaneceu estável, ao passo que o volume financeiro em aberto cresceu 6,4%. Receitas do 1T18 desse segmento já refletem de maneira integral o impacto do compartilhamento das sinergias de despesas capturadas no processo de combinação com a Cetip, equivalentes a R$ 7,8 milhões em descontos de preços aplicados nas diferentes linhas de receita.

  • No segmento Cetip UFIN, o número de veículos financiados cresceu 8,5%, reflexo do aumento do número de veículos vendidos, bem como da maior penetração de crédito nesse mercado.

  • Endividamento total representou 2.0x o EBITDA ajustado dos últimos 12 meses.

  • Distribuição de R$200,0 milhões em JCP, aprovados em abril de 2018.

“O início de 2018 continuou mostrando melhora das condições de mercado. Registramos números recordes de volumes no mercado de ações e no de derivativos listados, reflexo do aumento nos preços das ações e no maior apetite a risco dos investidores. O foco da B3 na integração continua, com ênfase na melhoria do relacionamento com clientes e participantes do mercado, no desenvolvimento e aperfeiçoamento de produtos e serviços oferecidos ao mercado e no fortalecimento da nossa cultura corporativa”, diz Gilson Finkelsztain, presidente da B3.

O documento com as informações completas sobre os resultados operacionais da B3 para o primeiro trimestre de 2018 está disponível no site de RI.

  • |
  • |
  • |
  • |
MAIS NOTÍCIAS
  • Mostrar
  • resultados
  • Mostrar
  • resultados