Além de ser um relevante instrumento de captação das instituições financeiras, a LF tem características particulares, que lhe confere o título de grande aposta do mercado, desde sua criação em 2010. Em abril daquele ano, o registro desse ativo já estava disponível na Cetip. Em comparação com outros instrumentos de funding, como CDB e Letra de Crédito do Agronegócio – LCA, a LF sai na frente quando o quesito é alongamento dos prazos de captação dos bancos, o que é mais saudável para o Sistema Financeiro como um todo. (Veja quadro abaixo)

“A LF era uma promessa que virou realidade. Esse instrumento nasceu com o intuito de proporcionar uma melhor administração de ativos e passivos dos bancos. Uma alternativa de funding de longo prazo”, aponta Carlos Ratto, diretor-executivo Comercial, de Produtos, Marketing e Comunicação da Cetip, ao iniciar sua explanação sobre o assunto no 3º Seminário de Letras Financeiras, organizado ontem, dia 21 de maio, em São Paulo, pela Inova Seminários.

Em abril, as Letras Financeiras completaram dois anos de criação: exatamente o período em que os primeiros títulos emitidos começaram a vencer. O prazo mínimo de 24 meses é uma de suas principais características. Quase a totalidade das emissões tem sido feita com prazo de até quatro anos, um índice que chega a 96,8%.

O valor unitário de emissão deve ser igual ou superior a R$ 300 mil, e não há teto. “Desde a sua criação, a Letra Financeira vem cumprindo o seu papel”, argumenta Esteves Pedro Colnago Junior, diretor de Programa da Secretaria-Executiva do Ministério da Fazenda, também presente no evento. De lá pra cá, mais de 40 instituições financeiras emitiram esses títulos. A Letra Financeira pode ter remuneração por taxa de juros prefixada, flutuante em DI ou Selic, ou por índice de preços.

Bom para o mercado


O estoque valorizado desses papéis chegou a R$ 183,5 bilhões no final de abril. Esse montante era de R$ 72,8 bilhões no mesmo período do ano passado. A evolução do estoque reflete o fato de que cada vez mais investidores estão apostando no ativo, o que contribui para o desenvolvimento do mercado financeiro brasileiro.

Em janeiro de 2011, a Cetip implementou o registro das Letras Financeiras negociadas por meio de oferta pública, regulamentada pela Instrução nº 488, editada pela Comissão de Valores Mobiliários. Esse procedimento possibilitou a ampliação das negociações do ativo e do público investidor. Segundo Ratto, essa é uma modalidade ainda pouco utilizada no mercado brasileiro, representando menos de 1% do estoque. Foram apenas quatro emissões com ofertas públicas desde então. “Vislumbramos uma oportunidade de crescimento.”

Outras novidades nesses dois anos de Letras Financeiras ampliaram as perspectivas de investimento no ativo. Uma delas foi a possibilidade de seguradoras, sociedades de capitalização e entidades abertas de previdência complementar vincularem as Letras Financeiras às suas Reservas Técnicas. Em fevereiro de 2012, foi liberado o registro, na Cetip, de negociação de LFs no mercado primário entre instituições financeiras. Anteriormente, o ativo só podia ser negociado entre essas instituições no mercado secundário. Vale lembrar que este título também tem a possibilidade de ser instrumento de dívida subordinada. Nesse caso, o prazo mínimo de emissão passa a ser de cinco anos.

Dados aprofundados sobre Letras Financeiras e outros ativos de renda fixa e derivativos de balcão podem ser adquiridos por meio do Cetip | Market Report. Relatórios de ranking cego, que permitem identificar o market share da instituição e estoque por tipo de ativo ou indexador, são os mais procurados. Para mais informações, entre em contato com a Cetip, pelo telefone (11) 3111-1427, ou e-mail: marketreport@cetip.com.br.

 

A Cetip participou da edição de 2012 do FISD Brazil, encontro realizado no último dia 17 de maio, em São Paulo. A companhia foi representada por Marcelo Fleury, gerente-executivo de Relações Institucionais, que esteve nos debates de um painel sobre tendências e desafios econômicos enfrentados pelos mercados latino-americanos. O evento ainda contou com mesas-redondas sobre tecnologia, market data, mercados globais no cenário local, mercados de Renda Fixa, entre outros.

FISD é uma organização sem fins lucrativos reconhecida internacionalmente que promove um fórum para apoiar a indústria global de informação financeira. São membros da instituição: bancos, corretoras, provedores de conteúdo, fornecedores de dados de mercado, desenvolvedores de software, etc.


A Cetip promoveu algumas implementações nos módulos Títulos e Valores Mobiliários, Termo, e MID – Módulo de Informação de Derivativos. Estas informações estão no Comunicado Cetip nº 46/12 enviado ao mercado. Esclarecimentos adicionais podem ser obtidos com a Gerência de Operações, pelos telefones (11) 3111-1597 ou (21) 2276-7597.

Página Cetip é uma publicação semanal produzida pela equipe de Marketing e Comunicação da companhia. Distribuição gratuita voltada para o mercado financeiro.

Contato: paginacetip@cetip.com.br / Tel.: (11) 3111-1980 / www.cetip.com.br
• Jornalista Responsável: Mariana Botega, Mtb 39.577 • Redação: Mariana Botega e Daniela Norcia
• Projeto Gráfico: Gad Agency

Avenida Brigadeiro Faria Lima, 1.663 1º andar, Jardim Paulistano CEP: 01452-001 - São Paulo - SP
O presente material foi emitido pela Cetip S.A. – Mercados Organizados. A Cetip é autorizada a funcionar pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e regulada tanto por esta quanto pelo Banco Central do Brasil. A informação neste contida serve apenas como referência, tendo a Cetip se baseado em informações obtidas através de fontes por esta consideradas confiáveis, cabendo à Cetip o direito de alterar livremente o conteúdo deste material sem aviso prévio. A Cetip não terá nenhuma responsabilidade, sob forma alguma, por perdas decorrentes pelo uso direto, indireto ou consequencial do presente. Embora, em alguns casos, o material possa conter a opinião e expectativas futuras da Cetip, pode haver uma série de riscos, incertezas e outros fatores importantes que podem fazer com que os resultados reais divirjam materialmente das expectativas da Cetip.
A Cetip se isenta a qualquer obrigação de atualizar ou alterar este conteúdo, seja em virtude de novas informações, acontecimentos futuros ou outras situações. Da mesma forma, a Cetip se isenta a qualquer responsabilidade de fornecer qualquer recomendação específica de natureza legal, tributária, regulatória ou outras que não estejam no seu escopo de trabalho. A responsabilidade pela eventual contratação dos serviços contidos no presente material é exclusiva dos clientes, cabendo a este tão somente a função comunicativa de lançamento dos produtos e/ou serviços. Os exemplos aqui porventura presentes simbolizam situações simuladas e hipotéticas, meramente ilustrativas. Seu comportamento pode não representar as situações reais de mercado, não cabendo à Cetip qualquer responsabilidade por tais casos e/ou pelo desfecho de casos reais. Este material foi criado pela área de Produtos da Cetip em concordância com as normas vigentes e não contém todos os procedimentos operacionais e detalhes técnicos envolvidos nos serviços apresentados. Seu conteúdo pode eventualmente divergir de outros materiais de divulgação emitidos pela Cetip, não servindo, sob hipótese alguma, como atualização de materiais anteriores divulgados pela Cetip. Nada constante aqui restringe ou exclui qualquer responsabilidade legal cabida ao cliente, de acordo com a legislação e normas regulatórias.
Este material é de propriedade da Cetip, sendo expressamente proibida sua reprodução de parte ou da totalidade de seu conteúdo, mediante qualquer forma ou meio, sem prévia e formal autorização, nos termos da Lei 9.610 /1998. Em função das características dos mercados que atende, a Cetip não possui fundo garantidor ou outros mecanismos de ressarcimento de perdas, razão pela qual não é cobrada qualquer taxa ou contribuição com esse objetivo.